Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se eu mandasse nisto

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se eu mandasse nisto

24
Out17

O adultério e a flatulência

Eu

Assim, de repente, quase que podia estar a falar de uma história romântica com um casal de personagens mas não é, de todo, essa a intenção. 

Nos ultimos dias tem andado nas bocas do povo uma notícia sobre a decisão, quase cómica, não fosse a gravidade da situação, de um acordão do Tribunal da Relação do Porto, a propósito de um caso de adultério. 

Ora, vamos lá ver...

O adultério, tal como a flatulência, não são crimes. São socialmente reprováveis, assim como são os arrotos em público e outras coisas que tais, mas não são crimes. 

Assim sendo, justificar ou querer fazer crer que uma pessoa que não cumpre normas sociais desta natureza tem, ou deve ter, motivo para ser castigada, para se sujeitar a abusos é no mínimo anedótico. Patético, mesmo. 

Por esta ordem de ideias, se da próxima vez que alguém arrotasse em público levasse um soco de outro alguém, não haveria problema, porque afinal estava a quebrar regras sociais e tinha mais era que se sujeitar ao castigo.  Não significa isto que eu ache que devemos andar por aí a arrotar ou a libertar gases, mas também não acho que quem o faz tenha de sujeitar aos desvarios de quem não gosta.  

Uma decisão destas revela um total desconhecimento da realidade onde vive. Revela uma total falta de sensibilidade. Revela uma total falta de competência para as funções que desempenha.

 

Se Eu Mandasse Nisto....

.... Esta pessoa não emitia mais nenhum despacho desta natureza. Saltava do lugar como uma pipoca. 

 

24
Out17

Cristiano Ronaldo: É obrigatório gostar.

Eu

Porque sim. Porque atingiu um patamar em que é impossível e impensável não se gostar dele. 

Não me interessa se tem uma familia A ou B ou C. Não me interessa se tem filhos com esta ou aquela, desta ou daquela forma. Não interessa se colecciona carros, ou casas  ou aviões. Não me interessa se passa férias num iate, numa ilha ou na serra do Gerês. Não me interessa se pagou impostos, se não pagou ou se vai pagar. 

Nada disso interessa, porque isso é a vida dele e que só a ele diz respeito. O que me interessa é que enquanto profissional, no seu lado público da vida, é o melhor dos melhores, o melhor do mundo. E nesse lado, é obrigatório gostar dele. Porque tem o todos deviamos ter, a força de vontade, o entusiasmo, a dedicação, o esforço, o querer ser melhor a cada dia. Porque se é verdade que o talento ajuda, também é verdade que só o talento não faz milagres se a cabeça não tratar de fazer o resto e não disciplinar o corpo. Porque toda a gente sabe que, quem não vem de berço de ouro, tem a vida dificultada e algumas portas custam muito mais a abrir. Porque teve a coragem de aos 11 anos deixar a familia (e a familia de o deixar a ele) para ir atrás de um sonhos. 

E porque foi. E porque fez. E por é. 

É obrigatório gostar dele. 

 

Se Eu Mandasse Nisto...

.... O Ronaldo era obrigado a dar umas lições de esforço e de dedicação a esta gente que tem agora 13 e 14 nos e que acha que o mundo começa e termina na etiqueta dos ténis e das camisolas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub