Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se eu mandasse nisto

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se eu mandasse nisto

12
Jan18

Ainda a camisola da H&M.

Eu

Não pensei que fosse escrever sobre a tal camisola, tal era o ridículo que me parecia, mas ao fim de alguns dias a ler comentários, e textos, e opiniões achei que, também desta vez, era preciso alguém a mandar nisto. 

A ideia pode não ter tido uma base racista. Quero acreditar, porque ainda acredito nas pessoas, que a marca não teve qualquer intenção racista quando fez e"escreveu" a camisola. Quero acreditar que a mãe do pequenito que vestiu a camisola, e que já veio a público falar sobre o assunto e dizer que não vê motivo para tanta polémica, também não viu qualquer problema na frase. 

Se o racismo não fosse (ainda) um problema na nossa sociedade, se as pessoas se aceitassem umas às outras com todas as suas qualidades e defeitos e caracteristicas, se não tivessem existido, por exemplo, até há bem pouco tempo "zoológicos humanos", em que as pessoas negras eram tratadas exatamente como macaquinhos da selva a quem, inclusivamente, se atiravam bananas,  se tudo isto não tivesse acontecido e não acontecesse ainda, podia ser que a camisola fosse apenas isso, uma camisola. Mas isto existiu, e a memória não se pode apagar. E o racismo existe e não podemos fingir que não.  E atitudes racistas não se podem cultivar. E dar ideias desse tipo de atitude só pode ser, no mínimo, condenável. 

Custa-me a crer que, numa empresa do tamanho da H&M ninguém tenha posto os olhos na frase, que ninguém tenha visto a palermice que estava a escrever e que ninguém tenha medido as consequências. Custa-me muito a crer. 

 

Há temas, assuntos, histórias que pela dimensão que tiveram e que continuam a ter só podem ser tratados de forma muito séria. Porque a memória ainda fresca, não admite que se brinque. Não se pode brincar com o racismo, com a tolerância, com a diferença. Ainda não. 

 

Se Eu Mandasse Nisto...

..... Pediam desculpa, retiravam a camisola do mercado e eram obrigados ao pagamento de uma multa, exemplar, para que da próxima vez, o cérebro pensasse mais rápido e os olhos vissem o que deviam ter visto. 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D