Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se eu mandasse nisto

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se eu mandasse nisto

30
Abr18

Precisa-se explicador: ministério da educação

Eu

Ainda a procissão vai no adro e já a confusão é mais que muita. 

Os concursos de professores ainda estão agora no inicio e estão tão bem organizados, e pensados, e preparados, que desde que saiu o aviso de abertura (há meia dúzia de dias) já houve necessidade de haver esclarecimentos, já o primeiro ministro pediu opiniões e já anda tudo às voltas. 

Isto para mim, tem uma explicação, ou melhor duas. 

Primeira:

As regras mudam ao sabor do vento porque alguém quer favorecer, ultrapassar, ou outra coisa qualquer pouco clara, os restantes elementos da lista, e por isso mudam e tornam a mudar e o que hoje é amarelo, amanhã pode ser azul. 

E no Ministério da Educação não percebem que assim criam confusão, lançam o caos e geram injustiças. Não percebem que não é certo. Não percebem que um concurso desta natureza, que implica com vida de milhares de pessoas (alunos, professores, famílias de alunos e de professores....) tem de ter regras bem definidas e conhecidas, tem de ser claro e transparente. 

 

Segunda: 

A confusão que se vive sempre nestes concursos está em grande parte ligada ao facto de colocarem gente à frente dos ministérios quem não percebe nada do que está a fazer. 

Não se pode ser padeiro de não se sabe amassar o pão. Não se pode ser agricultor se não se sabe o que é uma enxada. Não se pode ser ministro da educação e governar escolas, e vidas de alunos, e professores, se não se souber como é que a coisa funciona. Se não se conhecer a realidade das escolas. Se não se perceber o trabalhos dos professores. Se a ultima vez que se esteve dentro de uma sala de aula foi enquanto era aluno. 

E no Ministério da Educação não percebem que erros, problemas, dúvidas, textos pouco claros, esclarecimentos.....põe em causa o funcionamento do sistema. Não percebem porque não conhecem a realidade. 

Mas para além disto há mais, muito mais. 

Não percebem como são feitos os horários e como são preenchidos. (Nenhum professor do quadro está numa escola com horários de 6 ou 7 horas). 

Não percebem como são feitas as colocações. 

Não percebem que deixar concorrer em pé de igualdade quem esteve a trabalhar em colégios, para os quais entrou sem se saber como, e com que critérios, onde nunca esteve sujeito aos regimes de renovações (ou não) impostas pelo estado e quem se sujeitou a andar pelo país, quem teve de cumprir regras, quem se viu obrigado a andar a recolher comprovativos para poder concorrer a escolas TEIP (isto foi outra anedota que alguém iluminado se lembrou há uns anos)....é injusto. 

Não percebem nada. E como não percebem, o melhor é que se lhes arranje um explicador, ou dois, ou três. A área não importa, porque eles não percebem nada de nada. 

 

Se Eu Mandasse Nisto....

....Só tocava piano quem tinha dedos para isso. 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D