Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se eu mandasse nisto

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se eu mandasse nisto

20
Fev18

Rendimento Social de Inserção ou a arte de parasitar.

Eu

Sou contra. Absolutamente contra. Muito contra. 

Não concordo com a politica de se dar só porque sim. Só porque é suposto garantir que todos têm o mínimo. 

O número de beneficiários deste rendimento voltou a subir e já são mais de duzentas mil pessoas a receber. Duzentas mil.

Vamos lá ver...

Há duzentas mil pessoas a querer trabalhar e sem arranjar trabalho? Não, pois não.

Destas duzentas mil, talvez, algumas gostassem de trabalhar, procurem trabalho, e tenham o azar de não conseguir, mas atrevo-me a dizer que a grande maioria, não trabalha porque não quer. Não faz, porque não quer. E se não quer, o estado não tem obrigação de garantir nada e as pessoas que trabalham não têm obrigação de descontar para os que não querem fazer. 

Quem não tem trabalho e teoricamente não tem forma de subsistência, não se pode dar ao luxo de ser chamado a trabalhar e recusar. (Mas a verdade é que quem está a receber este tipo de apoio, se for chamado a trabalhar, pode recusar e continuar a receber. E os motivos para a recusa, podem ser vários, e ninguém os questiona).

E quem recebe (é assim em todo o lado) tem de dar alguma coisa em troca, senão corre o risco de se tornar parasita. 

Quantas, destas mais de duzentas mil pessoas, podiam e deviam, dar alguma em troca à sociedade que os sustenta, mas não o fazem. Podiam garantir a limpeza das suas ruas, e evitava-se que andassem outros a fazer esse trabalho. Podiam limpar as matas e o terrenos do estado, e talvez pudéssemos garantir o verão mais tranquilo que o anterior. Podiam trabalhar na recuperação de edifícios, porque carregar "baldes de cimento" toda a gente sabe. Podiam....qualquer coisa, desde que não fosse ficar em casa, ou sentados ao sol, à espera de ver o tempo passar.

E se neste mais de duzentos mil, existirem alguns, que efetivamente queriam, mas não podem, porque a saúde ou a idade já não deixa, então esses que recebam o dobro ou triplo. 

 

Se Eu Mandasse Nisto....

.... Só recebiam os que não podiam. Para os outros aplicava-se a frase "vai trabalhar, malandro"!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D