Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se eu mandasse nisto

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se o mundo anda ao contrário, se as pessoas andam com as ideias trocadas, se as prioridades andam invertidas, se os deuses andam loucos, haja alguém para mandar nisto, por favor.

Se eu mandasse nisto

20
Jan18

Resolvi ficar igual.

Eu

A propósito de resoluções e das resoluções para este ano, dei por mim a pensar que nunca, em ano nenhum, entrei no novo ano com uma lista ou, como pelo menos uma coisa em mente no que diz respeito a resoluções. 

Nunca fumei, e portanto nunca resolvi deixar de fumar.

Dietas também não são o meu forte. Gosto de comer e gosto de tudo, mas mesmo tudo, o que dizem que engorda e que faz mal. Não vou sequer pensar em resolver alguma coisa neste âmbito. 

Desafios físicos, nem pensar. Não devo fazer ginástica ou uma coisa a que se possa dar esse nome, desde a última aula de Educação Física quando andava no liceu, e já lá vão alguns anos. Se resolvesse começar de novo, só se alguém criasse a micro-maratona, e acho que nem assim. 

Resolver conhecer o mundo, era uma boa ideia, mas infelizmente depende mais da minha carteira do que propriamente da minha vontade e em casos destes, pouco adianta resolver que sim ou que sopas. 

Resolver não trabalhar também me dava jeito, mas era preciso que alguém resolvesse, também, pagar-me o ordenado sem eu lá pôr os pés. Não acredito muito em coincidências, por isso, também não me parece. 

A coisa mais parecida com uma resolução de fim ano, ou de inicio de ano, que me passou pela cabeça, foi decidir que não iria deixar que me chateassem. Seria uma espécie de desintoxicação. Paz com todos e com o mundo. Ignorância pura.  

Pois, também ainda não foi desta, e ainda o ano vai em Janeiro. Não consigo. Juro que tentei mas não dá. Não vou à procura de chatices, mas elas passam à minha frente, e mesmo quando finjo não as ver, para ver se consigo continuar serenamente o dia, as palermices, as chatices, as idiotices, as pessoas não pensantes e mais uma série de coisas nesta lista, passam à minha frente e parece que decidem ficar a passear à volta. Até que, começo a morder o lábio, o sangue começa a ferver nas veias, os olhos começam a ficar pequenos e.... pronto. Estou há beira de um ataque de nervos. 

A minha lista de possíveis resoluções está inquinada. Talvez por isso, nunca me tenha ocupado os pensamentos por mais do que alguns minutos. 

Por isso, para já, o melhor mesmo é resolver que vou continuar assim, exatamente como sou, porque só desta forma tenho garantia de ser uma resolução cumprida. 

 

Se Eu Mandasse Nisto...

.... Cada um resolvia o que queria, como queria, mas de forma a não pisar a linha que separa a sua liberdade e o seu bem estar, da liberdade e do bem estar do outro.  

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D